quinta-feira, 13 de junho de 2013

Efeitos Tóxicos - Ecstasy e Solvente 3°D

Efeitos tóxicos:
Os solventes quando inalados cronicamente podem levar a algumas lesões da medula óssea, do fígado, dos rins e dos nervos periféricos que controlam os músculos. Em alguns casos, principalmente quando existe no solvente uma impureza, o benzeno, mesmo em pequenas quantidades, pode levar à diminuição de produção de glóbulos brancos e vermelhos pelo organismo. Um dos solventes bastante usados nas nossas colas é o n-hexano. Essa substância é muito tóxica para os nervos periféricos, produzindo degeneração progressiva, a ponto de causar transtornos no marchar (as pessoas acabam andando com dificuldade, o chamado “andar de pato”), podendo até chegar à paralisia. Há casos de usuários crônicos que, após alguns anos, só podiam se locomover em cadeira de rodas.


Toxicologia Ecstasy
Entre os efeitos buscados pelos usuários de êxtase estão a maior empatia, percepção de memórias inconscientes, sentimento de proximidade com as outras pessoas, aumento das sensações emotivas e sensuais, euforia, elevação da auto-estima e alteração da percepção visual. Essa droga tem elevado
potencial tóxico e pode conduzir a seqüelas pelo seu
efeito cumulativo.
O sistema nervoso central é o principal alvo tanto dos efeitos desejáveis do êxtase quanto de sua ação tóxica pela estimulação serotoninérgica, levando a  efeitos psicodélicos, como alucinações visuais e distorções cognitivas.

G2


Ecstasy extraído ou sintetizado 3°A


Extraído ou sintetizado

Ecstasy, é uma droga moderna sintetizada(feita em laboratório)sem precursores vegetais, cujo efeito na fisiologia humana é a diminuição da reabsorção da serotonina, dopamina e noradrenalina no cérebro, onde estas substâncias ficarão em maior contato entre as sinapses,causando euforia sensação de bem-estar, alterações da percepção sensorial do consumidor e grande perda de líquidos, pertencente à família das anfetaminas. As alterações ao nível do tato (cinco sentido) promovem o contato físico, embora não tenha propriedades afrodisíacas, como se pensa, apenas aumenta o desejo incapacitando as condições fisiológicas para o ato sexual do indivíduo. Com a disponibilidade e o barateamento tecnológico permitem hoje que tais drogas sejam sintetizadas com facilidade em laboratórios clandestinos domésticos.





Grupo 6





LSD EFEITOS

Efeitos

    Como acontece com todas as outras drogas, devemos considerar as condições físicas e mentais do indivíduo e a quantidade ingerida, mas de um modo geral os efeitos do LSD surgem de 30 à 90 minutos após a ingestão de uma dose, durando em média 6 horas. Eles podem ser divididos em efeitos físicos e psíquicos, como seguem:

Físicos


      Tremores, aumento da temperatura corporal , da freqüência cardíaca, e da pressão arterial, pupilas dilatadas, aumento da glicemia, suores, perda de apetite, náuseas, tontura, parestesia (queimação da pele), boca seca, insônia e convulsão. O uso crônico pode resultar em fadiga e tensão podendo perdurar por vários dias.

Psíquicos


       Durante o efeito do alucinógeno são produzidos fenômenos alucinatórios que envolvem alterações nas percepções: auditivas, visuais, gustativa, olfativa, táctil, perda do limite entre o espaço e o próprio corpo, podendo causar diversos tipos de acidentes: domésticos, de trabalho, automobilísticos, etc,despersonalização, sensações de pânico e medo, ou ainda sinestesias, que é uma confusão de informações sensoriais,onde as sensações auditivas,traduzem-se em imagens e estas em sons , delírio, sensações alternadas e simultâneas de alegria e tristeza, e de relaxamento e tensão, perda da coordenação do pensamento, apreensão constante.
       As sensações produzidas pelo LSD, ao usuário, são “reais”, provocando medo, prazer, ansiedade, dor, e com seu uso continuado estes efeitos poderão tornar-se crônicos, causando: depressão profunda, surtos de esquizofrenia, reflexos exaltados e perda da memória.


G3

Maconha: Seus efeitos tóxicos.

O uso exagerado da maconha pode causar problemas respiratórios, cognitivos e até mesmo hormonais. Respiratórios pois levando em conta que seu nível de alcatrão (liquido preto, espesso, que contém um misto com mais de 4000 substâncias, e uma de suas derivações é o pixe) é maior que o do cigarro, sua fumaça é considerada mais nociva para o corpo humano. Com relação aos cognitivos, há perda de memória e pode haver uma perda considerável na concentração do usuário. Os hormonais estão ligados à diminuição em cerca de 50-60% na produção de testosterona pelos homens, enquanto na mulher, pode alcançar até a inibição da ovulação.

G4

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Efeitos tóxicos anfetamina

O ciclo de abuso e dependência da anfetamina pode criar uma reação tóxica no organismo, conhecida como psicose anfetamínica, que pode durar até algumas semanas, com irritabilidade, insónia, alucinações e até a morte em casos extremos. Os sonhos de quem abusa de anfetaminas são perturbados e interrompidos, e seu sono é pouco reparador.



G1

LSD sintética ou extraída ?

Foi sintetizado pela primeira vez em 1938 e em 1943, o químico suíço Albert Hofmann, enquanto trabalhava na Sandoz, acidentalmente descobriu os seus efeitos, de que se tornou entusiasta até sua morte aos 102 anos. Causa alterações sensoriais de variação inesgotável e imprevisível, um dado facilmente verificável em relatos da literatura médica de sua fase de testes iniciais adiante. Hofman, também responsável por isolar diversos outros princípios ativos de medicamentos até hoje amplamente utilizados, sempre condenou o uso irresponsável ou ignorante dessa substância por indivíduos despreparados, que  trata-se de uma droga meramente prazerosa ou recreativa.


Grupo 3.

Ecstasy e Solvente : Produzidos ou Extraídos da Natureza ?


Ecstasy - modo de produção: A metilenodioximetanfetamina, conhecida como ecstasy é produzida em laboratórios clandestinos com produtos e processos que viriam de um laboratório para outro. No êxtase, algumas vezes existem drogas altamente tóxicas como PMA (parametoxianfetamina), que podem ser letais, mesmo em doses baixas.

Solvente - modo de produção: Esta droga é comumente produzida em laboratórios clandestinos, muitas vezes sintetizada a partir de outras substâncias químicas que já possuam atividade biológica conhecida.

G2

Efeitos Tóxicos do Álcool

           Os sintomas de uma pessoa com concentração de álcool no sangue , pode no começo ficar muito feliz , as vezes triste, as vezes a pessoa fica tranquila ou nervosa , as vezes fica falante , etc.. Mas na maioria das vezes a pessoa fica sonolenta e perde o sentido, ou seja, sai do seu eixo. Quando o nível de álcool no sangue é maior ,a pessoa pode ficar em coma ou ate ter uma parada respiratória , que se não for socorrida a tempo morre .

G4

LSD : Extraído ou Produzido ?

  LSD é uma droga semi-sintética extraída do ácido lisérgico, substância presente num fungo''Esporão do Centeio'' e outros grãos,apresenta-se na forma de cristal,podendo ser também produzido com potência cinco vezes maior que a da mescalina e duzentas vezes maior que a da psilobcina.


  O LSD é um percursor para um grande grupo de alcalóides da ergolinarque que são também produzidas pelo fungo  ''Esporão do Centeio'' e algumas outras planta

Grupo 2

Maconha é natural ou sintética ?

A maconha é uma droga extraída a partir da planta Cannabis sativa . A quantidade e a potencia da droga varia de acordo com o clima , solo , cultivo e método de preparo. Os efeitos alucinógenos são provocados de forma natural , ou seja , sem componentes químicos .
G5


Efeitos tóxicos

Solvente

Os solventes quando inalados cronicamente podem levar a lesões da medula óssea, dos rins, do fígado e dos nervos periféricos que controlam os nossos músculos. Por exemplo, verificou-se em outros países que em fábricas de sapatos ou oficinas de pintura os operários, com o tempo, acabavam por apresentar doenças renais e hepáticas.  Em alguns casos, principalmente quando existe no solvente uma impureza, o benzeno, mesmo em pequenas quantidades, pode haver diminuição de produção de glóbulos brancos e vermelhos pelo organismo.

Ecstasy

Entre os seus efeitos tóxicos citam-se a hipertemia, rabdomiólise, hiponatrémia grave , coagulação intravascular disseminada, hepatotoxicidade, nefrotoxicidade, neurotroxicidade e complicações cardiovasculares, nomeadamente hipertensão,taquicardia e arritmias cardíacas.



G4

A Anfetamina é Sintética ou Natural?

A anfetamina é sintética, foi sintetizada na Alemanha  para usar de forma inalante para utilizar-se no congestionamento nasal, no tratamento de narcolepsia, e no transtorno de déficit de atenção. 

Grupo 5

terça-feira, 11 de junho de 2013

Efeitos tóxicos da cocaína

A cocaína pode causar efeitos tóxicos devido ao uso excessivo da droga, pois a partir do momento que é usava uma vez, a tendência da pessoa é aumentar o uso da dose. Mas essas grandes quantidades podem causar mudanças de comportamento, tornando a pessoa agressiva. 

- Efeitos Tóxicos Agudos, 

A droga usada em grandes doses, pode causar, arritmias cardíacas, necrose (morte cerebral), insuficiência renal, insuficiência cardíaca.




G3
Os Efeitos da Intoxicaçao do Àlcool

  • Fala arrastada
  • incoordenação motora
  • aumento da autoconfiança e euforia.
O efeito sobre o humor varia de pessoa para pessoa, e a maioria delas torna-se mais ruidosa e desembaraçada. Alguns, contudo, ficam mais morosos e contidos. Em níveis elevados de intoxicação, o humor tende a ficar instável, com euforia e melancolia, agressão e submissão. O desempenho intelectual e motor e a discriminação sensitiva são também prejudicados.
O álcool gera uma sensação de calor; aumenta a saliva e o suco gástrico e o uso frequente pode gerar lesão no estômago e gastrite crônica.

 A intoxicaçao aguda do Álcool

A intoxicação aguda por álcool é uma emergência médica causada pelo consumo rápido de uma grande quantidade de álcool . A gravidade depende da tolerância do paciente ao álcool, do seu tamanho (ou peso), da sua frequência de ingestão e de quanto alimento consumiu junto com o álcool.

Sintomas:
Pensamento demorado, suscetibilidade emocional, comportamento desinibido, euforia ou depressão, agitação, convulsão, andar instável, tremores, náuseas, vômito, hipotermia, vermelhidão ou palidez, fraqueza muscular e coma. A gravidade dos sintomas depende parcialmente do nível sanguíneo de álcool.

 G2

Cocaína é extraída ou produzida? Como?

A cocaína é extraída de uma planta chamada Erythroxilon coca, que pode ser encontra na América do Sul e na América Central, e para ser vendida é refinada. Sua produção é feita usando solventes, querosene, ácido sulfúrico.



folhas de cocaína 



G3

Efeitos Tóxicos : LSD

  O LSD produz grandes alterações no cérebro, atuando diretamente sobre o sistema nervoso e provocando fenômenos psíquicos, como alucinações, delírios e ilusões,é importante destacar que os efeitos do LSD dependem do ambiente, da qualidade da droga e da personalidade da pessoa, formas, cheiros, cores e situações se modificam, levando o ser humano a criar ilusões e delírios diferentes em cada pessoa.

  Um dos efeitos tóxicos da LSD seria perturbação psíquica que é a perda da habilidade de perceber e avaliar situações comuns de perigo. Isto ocorre, por exemplo, quando a pessoa com delírio de grandiosidade julga-se com capacidades ou forças extraordinárias, sendo capaz de, por exemplo: voar, atirando-se de janelas; com força mental suficiente para parar um carro numa estrada, ficando na frente do mesmo; andar sobre as águas, avançando mar a dentro.


   Existe também o  flashback é geralmente uma vivência psíquica muito dolorosa pois a pessoa não estava procurando ou esperando ter aqueles sintomas, e assim os mesmos acabam por aparecer em momentos bastante impróprios, sem que ela saiba porque, podendo até pensar que está ficando louca.



G2

Efeitos Tóxicos LSD

As crises de pânico, caracterizadas por grande ansiedade, medo de locais fechados, expectativas não realistas, são a principal complicação psiquiátrica do consumo do LSD.
Os sintomas de uma crise de pânico desenvolvem-se abruptamente e podem ser descritos como :
  • palpitações ou ritmo cardíaco acelerado ;
  • sudorese ;
  • tremores ;
  • sensação de falta de ar ou sufocamento;
  • sensação de asfixia;
  • desconforto torácico;
  • náusea ou desconforto abdominal;
  • sensação de tontura, instabilidade, vertigem, desmaio;
  • sensação de irrealidade (desrealização);
  • sensação de estar distanciado de si mesmo (despersonalização);
  • medo de perder o controle ou de enlouquecer;
  • medo de morrer;
  • sensação de formigamentos em áreas do corpo;
  • calafrios e ondas de calor.
Também é revelante comentar sobre o conhecido efeito do "flashback", que corresponde á re-experimentação dos mesmos sintomas vividos durante o consumo da droga meses depois do último uso do LSD. Esses sintomas costumam ser eventos muito angustiantes para o usuário, embora para outros usuários possa ser uma experiência prazerosa.

Grupo 3.

O álcool é extraído ou sintetizado ? E como ?

O álcool é uma droga sintetizada. A droga mais fácil de ser consumida é uma classe de compostos orgânicos em si que possui, em sua estrutura, um ou mais grupos de HIDROXILA ( -OH ) ligados em sua cadeia carbônica. O fígado é um dos órgãos mais importantes para sintetizar o álcool ingerido logo após em nosso organismo, sem ele o efeito do álcool em nosso cérebro seria muito alto, mas se não tomarmos cuidado podemos estraga-lo com abuso excessivo. 



3º Colegial D - G4

Anfetaminas: Droga Sintética .

As anfetaminas, são drogas sintéticas, fabricadas em laboratório. Não são, portanto, produtos naturais. Existem várias drogas sintéticas que pertencem ao grupo das anfetaminas, e como cada uma delas pode ser comercializada sob a forma de remédio, por vários laboratórios e com diferentes nomes comerciais, temos um grande número desses medicamentos, conforme mostra a tabela a seguir.


Nomes comerciais de alguns medicamentos à base de drogas tipo anfetamina, vendidos no Brasil.



Anfetamina
Produtos (nomes comerciais) vendidos em farmácias
Dietilpropiona ou Anfepramona
Dualid S®; Hipofagin S®; Inibex S®; Moderine®
Fenproporex
Desobesil-M®
Mazindol
Fagolipo®; Absten-Plus®
Metanfetamina
Pervitin®*
Metilfenidato
Ritalin




G1

Efeito toxológico do álcool

Os efeitos do álcool são percebidos em dois períodos, um que estimula e outro que deprime. No primeiro período pode ocorrer euforia e desinibição. Já no segundo momento ocorre descontrole, falta de coordenação motora e sono. Os efeitos agudos do consumo do álcool são sentidos em órgãos como o fígado, coração, vasos e estômago. 

Doses entre 100 e 199mg/dl: aumento do prejuízo do julgamento, humor instável, diminuição da atenção, diminuição dos reflexos e incoordenação motora;
 Doses entre 200 e 299mg/dl: fala arrastada, visão dupla, prejuízo de memória e da capacidade de concentração, diminuição de resposta a estímulos, vômitos;
 Doses entre 300 e 399mg/dl: anestesia, lapsos de memória, sonolência;
 Doses maiores de 400mg/dl: 
insuficiência respiratória, coma, morte.

G5

Efeitos Tóxicos da Anfetamina


No caso de exagero na dose pode causar um delírio persecutório (a pessoa fica mais irritada, nervosa, começa a achar que estão tramando contra ela e etc.), mas dependendo da pessoa pode causar um sério caso de paranoia e até alucinações chamada de psicose anfetamínica.

E é possível ver os efeitos colaterais também, contendo midríase acentuada, taquicardia e pele pálida, (devido à contração dos vasos sanguíneos).

Grupo 5


Efeitos Tóxicos: Maconha

Depois de consumir a Cannabis a pessoa pode apresentar alguns efeitos físicos como memória prejudicada, confusão entre passado, presente e futuro, sentidos aguçados, porém com pouco equilíbrio e força muscular, perda da coordenação, aumento dos batimentos cardíacos, percepção distorcida, ansiedade, olhos avermelhados por conta da dilatação dos vasos sanguíneos oculares, boca seca e dificuldade de pensamento e solução de problemas.
As pessoas que fumam maconha também estão suscetíveis aos mesmos problemas das pessoas que fuma tabaco, como asma, enfisema pulmonar, bronquite e câncer.
A maconha também pode desenvolver problemas mentais como psicose (caso o usuário tenha uma predisposição genética), surto psicótico e depressão.
Veja os efeitos que a droga causa no cérebro na imagem abaixo:


G-2

Ecstasy e Solvente / Extraído ou sintetizado
Ecstasy 

O ecstasy é uma droga relativamente nova e, diferentemente de drogas como a cocaína e a maconha, só foi sintetizada pela primeira vez já neste século. A primeira notícia que se tem da droga é de 1912, quando foi sintetizada pela primeira vez por um laboratório alemão. Sua primeira utilidade foi medicinal, em sessões de psicoterapia, e como um inibidor de apetite.

Pode ser extraído por simples destilação. Assim que o safrol é obtido, existem vários caminhos a seguir para a produção de MDMA. Um dos mais fáceis é a aminação directa do safrol, enquanto que a abordagem mais comum é a criação do intermediário MDP-2-p. Ambos estes métodos são discutidos em baixo.


Solvente
A extração objetiva retirar da planta as substâncias desejadas. Existem vários tipos de extração, que variam de acordo com o caráter da substância a ser extraída.
Solvente Tipos de substâncias extraídas
Éter de petróleo, hexano Lipídios, ceras, pigmentos, furanocumarinas
Tolueno, diclorometano, clorofórmio Bases livres de alcalóides, antraquinonas
Livres, óleos voláteis, glicosídeos cardiotônicos
Acetato de etila, n-butanol Flavonóides, cumarinas
Etanol, metanol heterosídeos em geral
Misturas hidroalcoólicas, água Saponinas, taninos
Água acidificada Alcalóides
Água alcalinizada saponinas


G4

Efeitos Tóxicos da Anfetamina e LSD

Efeitos tóxicos da Anfetamina

Se uma pessoa exagera na dose (toma vários comprimidos de uma só vez) todos os efeitos acima descritos ficam mais acentuados e podem começar a aparecer comportamentos diferentes do normal: ela fica mais agressiva, irritadiça, começa a suspeitar de que outros estão tramando contra ela: é o chamado delírio persecutório. Dependendo do excesso da dose e da sensibilidade da pessoa pode aparecer um verdadeiro estado de paranóia e até alucinações. É a psicose anfetamínica. Os sinais físicos ficam também muito evidentes: midríase acentuada, pele pálida (devido à contração dos vasos sanguíneos) e taquicardia.
Essas intoxicações são graves e a pessoa geralmente precisa ser internada até a desintoxicação completa. Às vezes durante a intoxicação a temperatura aumenta muito e isto é bastante perigoso pois pode levar a convulsões.
Finalmente trabalhos recentes em animais de laboratório mostram que o uso continuado de anfetaminas pode levar à degeneração de determinadas células do cérebro. Este achado indica a possibilidade de o uso crônico de anfetaminas produzir lesões irreversíveis em pessoas que abusam destas drogas.


Efeitos tóxicos do LSD
O perigo do LSD não está tanto na sua toxicidade para o organismo mas sim no fato de que, pela perturbação psíquica, há perda da habilidade de perceber e avaliar situações comuns de perigo. Isto ocorre, por exemplo, quando a pessoa com delírio de grandiosidade julga-se com capacidades ou forças extraordinárias
Ainda no campo dos efeitos tóxicos, há também descrições de pessoas que após tomarem o LSD passaram a apresentar por longos períodos (o maior que se conhece é de dois anos) de ansiedade muito grande, depressão ou mesmo acessos psicóticos. O flashback é uma variante deste efeito a longo prazo: semanas ou até meses após uma experiência com LSD, a pessoa repentinamente passa a ter todos os sintomas psíquicos daquela experiência anterior e isto sem ter tomado de novo a droga. 


G5
 
        Efeitos tóxicos : Ecstasy e solventes


Solventes : Seus efeitos tóxicos quando inalados cronicamente podem levar a lesões da medula óssea , dos rins , do fígado e dos nervos periféricos que controlam os nossos músculos . 


Ecstasy : Entre seus efeitos tóxicos citam-se hipertemia , rabdomiólise , hiponatrémia grave , coagulação instravascular disseminada , neurotoxidade e complicações cardiovasculares , tarquicardia e arritmias cardíacas . 



G-4      

Intoxicação Causada Pela Maconha

A intoxicação causada pela maconha altera o teor dos neuro-hormônicos, conduzindo a mudanças no funcionamento dos processos cerebrais, chega a produzir atrofia cerebral, com alteração dos ventrículos cerebrais, os casos de toxidade letal são raros, mas podem ocorrer, dependendo, dentre outros fatores, da frequência, quantidade e qualidade da maconha utilizada pelo usuário.



   G5 

  Site: http://www.angelfire.com/on/drogas/sefeitfismaconha.html

LSD - Efeitos Tóxicos

Efeitos Tóxicos

Os perigos são puramente psicológicos, não prejudiciais ao corpo. O LSD pode despertar psicoses latentes ou exacerbar depressões, levando a comportamentos irracionais. Pode também causar comportamentos tolos ou imprudentes, tais como o mau cálculo de distâncias ou a crença de que se pode voar. A superdose (overdose) física não é perigosa, embora se possa facilmente ingerir mais do que se poderá aguentar psicologicamente.
As doses fatais (tóxicas) de LSD são teoricamente milhares de vezes maiores que uma dose normal, tornando o LSD (no sentido tóxico) uma das drogas mais seguras que se conhecem.




Grupo 06


 

Álcool - Efeito tóxico

  O álcool, é tóxico, atingindo de preferência o aparelho digestivo: o indivíduo perde o apetite, o estômago se inflama e a ulceração da sua mucosa logo se manifesta. Trata-se de um líquido incolor produzido a partir de cereais, raízes e frutos. Pode ser obtido mediante a fermentação destes produtos, atingindo concentrações que variam entre 5 e 20% ou por destilação e/ou adição de álcool resultante de destilação, o que aumenta a concentração etílica até 40%.


G3

Maconha: Extraída ou Sintetizada?

A maconha em sua forma natural é extraída, mas há registros de substâncias que parecem muito com a mesma. Trata-se de um canabinóide sintético, onde o objetivo é reproduzir o efeito da cannabis por meio de substâncias que,na época de seu descobrimento, eram legais e fáceis de serem encontradas na internet.

G4

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Efeitos tóxicos da cocaína

   Os efeitos tóxicos vão diretos sobre o coração, que levam à destruição de miofibrilas, fibrose intersticial, dilatação do miocárdio e insuficiência cardíaca.O hiperefeito da adrenalina, induzido pela cocaína, pode produzir necroses no coração e outras mudanças da estrutura do coração. A tendência do usuário é aumentar a dose de uso na tentativa de sentir efeitos mais intensos. Porém essas quantidades maiores acabam por levar o usuário a comportamento violento, irritabilidade, tremores e atitudes bizarras devido ao aparecimento de paranóia. Esse efeito provoca um grande medo nos craqueros, que passam a vigiar o local onde estão usando a droga e passam a ter uma grande desconfiança uns dos outros o que acaba levando-os à situações extremas de agressividade. Eventualmente podem ter alucinações e delírios. A esse conjunto de sintomas dá-se o nome de "psicose cocaínica". Além desses sintomas descritos, o craquero e o usuário de merla perdem de forma muito marcante o interesse sexual. Alterações podem acometer qualquer órgão. 
    No coração, as consequências podem ser desastrosas.O aumento de adrenalina e consequente elevação da frequência cardíaca e da pressão arterial fazem o coração trabalhar mais e necessitar de mais oxigênio.Por outro lado, o vasoespasmo e a formação de coágulos dentro das artérias do coração podem obstruir o fluxo de sangue e oxigênio para o músculo cardíaco.   Quando ocorre este desequilíbrio e as células do coração precisam de mais oxigênio do que recebem, instala-se o que é denominado isquemia, que se traduz por dor no peito. De fato, sintomas cardiopulmonares, e particularmente dor no peito, são os sintomas mais frequentes em usuários de cocaína que procuram auxílio médico.

 G1
O Álcool Extraido ou Sitetizado ?

O Álcool é uma substância Sintetizado, O tipo De Álcool Utilizado em Bebidas Alcoólicas e o Hidratado, O Álcool é Sintetizado do caldo da cana de açúcar, esse caldo passa por um processo de aquecimento e Esterilização e depois é misturado com um fermento especifico q se alimenta do açúcar e libera gás carbônico e o Álcool, ele é sintetizado em Usinas, o Álcool é sintetizado, pois necessita de uma fermentação alcoólica para ser obtido.

G2
Efeitos Tóxicos  da Cocaína 

A cocaína é uma droga psicoativa que estimula e vicia, promovendo alterações cerebrais muito importantes.

A maneira como a cocaína é usada pode ter influência nos efeitos. Quanto mais rápido a cocaína é absorvida e enviada para o cérebro, maior será a euforia experimentada. O reforço do próprio uso e a possibilidade de efeitos colaterais (adversos) também são maiores. Os Grandes Efeitos Tóxicos da cocaína são:


Necrose (morte celular) cerebral.


Insuficiência renal (falência do rim).


Insuficiência cardíaca.


Hipertermia com coagulação disseminada potencialmente fatal.


Arritmias cardíacas: que alteram a freqüência ou o ritmo dos batimentos cardíacos e a complicação é possivelmente fatal. 


Trombose coronária com enfarte do miocárdio (provoca 25% dos enfartes totais em jovens).


Trombose cerebral com AVC: acidente vascular cerebral (AVC) que ocorre quando um coágulo de sangue entope uma das artérias cerebrais gerando uma lesão temporária ou permanente.


Outras hemorragias cerebrais devidas à vasoconstrição simpática.



G6


LSD - Sintetizada ou Extraída ?

Extraído ou Sintetizado?

        LSD é uma abreviação usada para dietilamida de ácido lisérgico, que é uma das mais potentes substâncias alucinógenas conhecidas. Trata-se de uma droga alucinógenas  sintética, isto é, fabricada em laboratório, de uso oral, que não possui odor, sabor ou cor, é mais comumente utilizada, por adolescentes e jovens. É um composto cristalino relacionado especialmente com os alcalóides podendo ser produzido a partir do processamento das substâncias esporão de centeio. 
         O LSD foi descoberto pelo químico Albert Hofmann, parte de um grande programa de pesquisa em busca de derivados da ergolina que impedissem o sangramento excessivo após o parto.



G3

Efeitos tóxicos - Anfetamina

Se uma pessoa exagera na dose (toma vários comprimidos de uma só vez) : ela fica mais agressiva, irritadiça, começa a suspeitar de que outros estão tramando contra ela: é o chamado delírio persecutório. Dependendo do excesso da dose e da sensibilidade da pessoa pode aparecer um verdadeiro estado de paranóia e até alucinações. É a psicose anfetamínica. Os sinais físicos ficam também muito evidentes: midríase acentuada, pele pálida (devido à contração dos vasos sanguíneos) .

·         Arritmias cardíacas: complicação possivelmente fatal.
·         Trombose coronária com enfarte do miocárdio (provoca 25% dos enfartes totais em jovens de 18-45 anos)
·         Trombose cerebral com AVC.
·         Outras hemorragias cerebrais devidas à vasoconstrição simpática.
·         Insuficiência renal
·         Insuficiência cardíaca
·         Hipertermia com coagulação disseminada potencialmente fatal.

Trabalhos recentes em animais de laboratório mostram que o uso continuado de anfetaminas pode levar à degeneração de determinadas células do cérebro. Este achado indica a possibilidade de o uso crônico de anfetaminas produzir lesões irreversíveis em pessoas que abusam destas drogas.

G1

Álcool- Efeitos Tóxicos

O álcool age diretamente no sistema nervoso, assim provocando um relaxamento muscular. Diminui reflexos, alterações visuais, alterações de humor, comportamento violento, diminuição de produtividade no trabalho. Pessoas totalmente dominadas por esse vício sofre uma perda na capacidade de gravar memórias recentes é conhecida como Síndrome de Korsakoff.




G3

Efeitos tóxicos da maconha

A maconha é uma das drogas que causam intoxicação mais branda, não havendo relatos de mortes induzidas unicamente pelo seu consumo.

Sinais psicológicos que podem ocorrer durante a intoxicação são:
- Distorções do tempo
- Perda da memória recente
- Diminuição da atenção e concentração
- Paranoia
- Pensamentos míticos
- Sentimento de grandiosidade
- Despersonalização


Onde a droga age:

1-Cortéx Frontal.
Controla o comportamento.
A euforia tem origem aqui.

2-Núcleo Acumbens
pode sediar o mecanismo
que causa dependência.

3-Hipocampo
É o setor que guarda informações.
Se atingido perde-se a memória.

4-Cerebelo
Responde às alterações
da coordenação motora.

G6


domingo, 9 de junho de 2013

EFEITOS TOXICOS DA COCAINA NO CORPO HUMANO




Efeitos tóxicos

A tendência do usuário é aumentar a dose na tentativa de sentir efeitos mais intensos. Porém, essas quantidades maiores acabam por levá-lo ao comportamento violento, irritabilidade, tremores e atitudes bizarras devido ao aparecimento de paranóia " nóia". Esse efeito provoca um grande medo nos craqueros, que passam a vigiar o local onde estão usando a droga e passam a ter uma grande desconfiança uns dos outros o que acaba levando-os a situações extremas de agressividade. Eventualmente podem ter alucinações e delírios. A esse conjunto de sintomas dá-se o nome de "psicose cocaínica". Além desses sintomas descritos, o craquero e o usuário de merla perdem de forma muito marcante o interesse sexual.

Corte cerebral pós-mortem de um adito em cocaína. A lesão mostra  uma hemorragia cerebral massiva e está associada ao uso da cocaína


 

3°D   G1

Efeitos - ecstasy e solvente

Efeitos ecstasy
Teste em voluntários
Pessoas sem doenças somáticas e psíquicas com experiência prévia de ecstasy relataram e apresentaram uma série de alterações. Os mais evidentes são aqueles semelhantes ao demais estimulantes como aceleração da freqüência cardíaca, elevação da pressão arterial, diminuição do apetite,ressecamento da boca, dilatação das pupilas, elevação do humor, sensação subjetiva de aumento da energia. Efeitos neurológicos foram encontrados em alto índice. Esse estudo usou apenas dez voluntários e observou-se retesamento mandibular em seis usuários, nistagmo em oito, diferentes graus de ataxia em sete, aumento dos reflexos tendinosos em oito; apenas um apresentou náuseas e todos tiveram dilatação pupilar. Quatro pessoas apresentaram perturbações na capacidade de tomar decisões e realizar juízos. Esse estudo foi feito antes de se conhecer os efeitos danosos que o ecstasy possui. Nessa época os autores julgavam que o MDMA (ecstasy) era uma droga segura.

Efeitos indesejados 

Aumento da tensão muscular, aumento da atividade motora, aumento da temperatura corporal, enrijecimento e dores na musculatura dos membros inferiores e coluna lombar, dores de cabeça, náuseas, perda de apetite, visão borrada, boca seca, insônia são os efeitos indesejáveis mais comuns. Nos dias seguintes ao consumo do ecstasy a pressão arterial tende a oscilar mais do que o habitual. O aumento do estado de alerta pode levar a uma hiperatividade e fuga de idéias. Alucinações já foram relatadas, despersonalização, ansiedade, agitação, comportamento bizarro.
Algumas vezes pode levar a uma crise de pânico, e episódios breves de psicose que se resolve quando a droga cessa de atuar. No dia seguinte ou nos dois dias seguintes é comum ocorrer uma sensação oposta aos efeitos desejados. Os usuários podem ficar deprimidos, com dificuldade de concentração, ansiosos e fatigados. Apesar desses efeitos os usuários tendem a considerar o resultado final como vantajoso.

Efeitos solvente

Os solventes quando inalados cronicamente podem levar a lesões da medula óssea, dos rins, do fígado e dos nervos periféricos que controlam os músculos. Por exemplo, verificou-se, em outros países, que em fábricas de sapatos ou oficinas de pintura os operários, com o tempo, acabavam por apresentar doenças renais e hepáticas.
Em alguns casos, principalmente quando existe no solvente uma impureza, o benzeno, mesmo em pequenas quantidades, pode levar à diminuição de produção de glóbulos brancos e vermelhos pelo organismo. Um dos solventes bastante usados nas nossas colas é o n-hexano. Essa substância é muito tóxica para os nervos periféricos, produzindo degeneração progressiva, a ponto de causar transtornos no marchar (as pessoas acabam andando com dificuldade, o chamado “andar de pato”), podendo até chegar à paralisia. Há casos de usuários crônicos que, após alguns anos, só podiam se locomover em cadeira de rodas.


G4

sábado, 8 de junho de 2013

Cocaína - Efeitos Tóxicos.

Os efeitos tóxicos agudos da cocaína podem ocorrer ou não após uma única dose baixa, mas são mais prováveis se continuar usando ou se consumir em doses altas: 

  • Arritmias cardíacas: que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos e a complicação é possivelmente fatal. 
  •  Trombose coronária com enfarte do miocárdio (provoca 25% dos enfartes totais em jovens).
  • Trombose cerebral com AVC: que é um tipo de acidente vascular cerebral (AVC) que ocorre quando um coágulo de sangue entope uma das artérias cerebrais gerando uma lesão temporária ou permanente.
  •  Outras hemorragias cerebrais devidas à vasoconstrição simpática. 
  • Necrose (morte celular) cerebral.
  • Insuficiência renal (falência do rim).
  • Insuficiência cardíaca.
  • Hipertermia com coagulação disseminada potencialmente fatal.



                                                    G2

Álcool, extraído ou sintetizado?

O álcool é produzido pela fermentação de açúcares contidos em frutas, grãos e em caules (como na cana-de-açúcar). As bebidas alcoólicas são classificadas em: fermentadas, destiladas e compostas.

Origem
Bebida fermentada
Bebida destilada
Suco de uva
Vinho, champagne
Bagaceira, armagnac, brandy, conhaque, pisco, grappa (aguardente de vinho)
Caldo da cana-de-açúcar
Vinho de cana
Cachaça, rum
Cereal
Cerveja (cevada), saquê (arroz)
Bourbon, gim, uísque, vodka
Suco de agave

Tequila, mezcal
Mel
Hidromel

Anis

Arak, ouzo, pastis, patxaran, absinto
Suco de maçã
Sidra
Calvados
Suco de ameixa

Slivovitz, schnaps

G5